Mensagem do Conselho de Administração 102-10 | 102-14

Em 2019, primeiro ano após a celebração de nosso centenário, consolidamos as movimentações ocorridas em 2018 no portfólio de negócios: a transação da Fibria foi concluída e a joint venture, constituída entre a Votorantim Energia e o Canada Pension Plan Investment Board (CPPIB), implementou mudanças na gestão da Companhia Energética de São Paulo (CESP), após o bem-sucedido leilão de privatização em outubro de 2018.

Temos vivido um período de inúmeras incertezas. Considerando apenas 2019, o mundo se deparou com situações inimagináveis há alguns anos: taxas de juros negativas em boa parte dos países desenvolvidos, acirramento da guerra comercial entre Estados Unidos e China, indefinições sobre o Brexit e polarização política em diversos países. Tais fatores contribuíram para a desaceleração econômica. No Brasil, o ano não foi menos desafiador. O início do novo governo foi marcado por uma nova relação entre o executivo e o legislativo, com impactos sobre os índices de confiança. Esse ambiente se traduziu em um crescimento tímido do Produto Interno Bruto (PIB) de 1,1%. Por outro lado, a aprovação da Reforma da Previdência, a inflação abaixo da meta e a taxa de juros em sua mínima histórica renovaram a esperança de uma economia mais promissora.

Nesse contexto, no resultado consolidado da Votorantim, apresentamos receita líquida estável em relação ao exercício anterior (R$ 30,9 bilhões), Ebitda ajustado de R$ 5,1 bilhões, 26% inferior a 2018, e lucro líquido de R$ 4,9 bilhões, 113% superior a 2018, impactado positivamente pela conclusão da transação da Fibria. Apesar dos desafios e das incertezas, nossas empresas investiram R$ 3,2 bilhões, valor que inclui projetos de expansão e modernização que proporcionarão ganho significativo de eficiência operacional ao longo do tempo, além de aumento de volume de seus produtos. Do ponto de vista financeiro, registramos redução de aproximadamente R$ 5 bilhões na dívida bruta e mantivemos a alavancagem – expressa pelo quociente dívida líquida/Ebitda ajustado – abaixo de 2,0x.

Vale destacar também a atuação responsável frente às questões ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês), que sempre estiveram incorporadas aos negócios e são traduzidas no DNA Votorantim. Este documento, que neste ano recebeu um capítulo dedicado ao tema social, estabelece valores, princípios, pilares de gestão e diretrizes para a geração superior de valor a partir das melhores práticas desenvolvidas ao longo de mais de um século de nossa atuação.

Na dimensão ambiental, nosso compromisso se manifesta por meio da influência sobre as empresas investidas quanto à adoção de iniciativas para a utilização responsável dos recursos naturais e minimização dos impactos ao meio ambiente. No ano, uma de nossas investidas passou a considerar indicadores ambientais na dívida contratada. Foi o caso da Votorantim Cimentos, que emitiu US$ 290 milhões por meio de um Committed Credit Facility (CCF) atrelado a metas de sustentabilidade. Na esfera social, o Instituto Votorantim cumpre papel relevante de apoio às empresas do portfólio no desenho e na implementação de suas estratégias, que visam contribuir para a construção de um futuro melhor para as próximas gerações. A Votorantim e as empresas investidas seguiram apoiando a Parceria pela Valorização da Educação (PVE) em 101 cidades e impactando cerca de 540 mil alunos. Em governança, tanto nós quanto nossas investidas primamos pela condução de relacionamento ético e transparente com todos os stakeholders. Desde 2014, nossas empresas têm seus conselhos de administração, e suas governanças têm evoluído e amadurecido, contribuindo, desta forma, nas definições de suas estratégias.

No âmbito da holding, mantemos o foco na busca por novas alternativas de investimentos que proporcionem retornos financeiros superiores e geração de valor compartilhado com a sociedade. Em 2019, a Votorantim ampliou sua flexibilidade financeira e, em 2020, seguirá buscando novas oportunidades de investimento e o balanceamento entre setores e geografias.

Iniciamos 2020 com o aumento das incertezas globais, especialmente em decorrência dos impactos da disseminação do coronavírus (COVID-19) nas principais economias. Considerado um evento raro, as consequências da epidemia certamente terão impacto sobre o crescimento global. Nesse contexto, a Votorantim se prepara para um ano que pode ser mais desafiador do que o esperado.

No Brasil, no longo prazo, o crescimento do País está atrelado à melhora do nosso padrão de educação e à realização das reformas estruturais, que poderão trazer mais segurança jurídica ao ambiente de negócios e, consequentemente, atrair investimentos tanto domésticos, quanto internacionais. Em nome do Conselho, reitero o compromisso da Votorantim em continuar construindo um futuro mais inclusivo, justo e sustentável para o Brasil.

Eduardo Vassimon
Presidente do Conselho de Administração da Votorantim S.A.